Petrópolis recebe Mostra Audiovisual
entre os dias 26 de novembro e 1º de dezembro de 2017

Educação é potência, é sonho, é arte.
Cinema é a arte de realizar sonhos potentes.
Se não tem arte na escola, não pulsa, é apenas muro.
É preciso romper os muros da escola, levar arte a todo lugar.
Criar novas janelas e estéticas para enxergar o mundo.

Ao unir Educação e Cinema, a Mostra Audiovisual de Petrópolis se coloca na perspectiva de propiciar o protagonismo juvenil através da arte, dando voz e visibilidade a tantos modos de ler e expressar o mundo.

Nesta oitava edição, em especial, somos mais uma força dentre tantas que resistem frente à grave conjuntura brasileira na atualidade. Nossa Mostra acontece num cenário de acirramento da precarização da Educação Pública e do desmantelamento das políticas de Cultura.

Tomamos então a Educação e o Cinema como lugares de resistência. Resistimos porque o momento exige, porque as futuras gerações merecem e porque durante as sete edições anteriores encontramos muitos amigos e apoiadores pelo caminho. Nossa luta integra os tantos movimentos de alunos, educadores, produtores culturais, cineastas e artistas no sonho de construção de uma sociedade mais justa e plural, onde a arte seja sempre motriz da transformação.

É resistindo e lutando para manter Educação e Cinema em sinergia que apresentamos a programação da Mostra Audiovisual de Petrópolis!
Esperamos por todos em nossas sessões!

Realização

emi_logo

Parceria

Apoio

firjan
logo-styllos-site
cine-bauhaus
aguas-do-imperador
LOGO_BDM
pousada-magister
Logo-Serrana-Center

A Mostra Petrópolis

A Mostra Audiovisual de Petrópolis começou tímida, em dezembro de 2010, com os alunos do EMI-AV apresentando seus vídeos para os professores. Recebemos convidados de instituições produtoras, como o CinemaNosso e a BemTV. Era o primeiro evento “grande” que o curso fazia, após inaugurar seus estúdios de áudio e vídeo e ter personalidades do cinema como Hernane Heffner, Breno Silveira e João Jardim.

A II Mostra ainda foi entre os muros escolares, mas, desta vez, começamos a ocupar devagarinho um outro espaço: o Cine-teatro do Museu Imperial. Convidamos também amigos das áreas de comunicação e artes que ministraram oficinas e fizeram debates, grandes emigos que nos acompanham desde então: Gabriel Bortolini, Felícia Krumholz, Cláudio Partes, Bárbara Cleffs, Eliana Castilho, Aline Castella, Sandro Sodré, Francisco Ferraz, Aurélio de la Peña, Alexandre Pena, Marcio Nunes, Pedro Garcia, Adriana Hoffman e tantos outros que nos ajudaram a crescer e a repensar nossas práticas no audiovisual. O ator e cantor Igor Cotrim e sua banda Beep-Polares nos presentearam com um show com muita música e poesia.

A III Mostra extrapolou de vez a escola e foi para a rua. Do Cine-teatro do Museu Imperial não saímos mais! O Centro de Cultura Raul de Leoni, o Palácio Rio Negro e o Cinemaxx também receberam atividades e passaram a compor os espaços emigos do curso. Um destaque foi a mesa-redonda sobre políticas públicas para a educação audiovisual da qual participou o então subsecretário de Educação do Estado do Rio de Janeiro, Antônio Neto.

Na IV Mostra contamos, pela primeira vez, com a exibição de filmes de outras escolas produtoras. Foi um momento rico de trocas e experiências novas, pois os jovens do EMI-AV puderam interagir com outros olhares sobre o mundo do audiovisual. Tivemos o prazer de receber o cineasta Zeca Ferreira e seu Áurea. Foi também um momento importante para reunir educadores em torno do debate sobre o papel das novas mídias e sua repercussão na escola.

A V Mostra foi marcada pela mudança. Novo layout contornava os horizontes e as nossas expectativas sobre a produção juvenil. A unidade Quitandinha do Sesc abriu suas portas para oficinas e sessões de filmes e a Praça da Liberdade e a Casa Claudio de Souza passaram a fazer parte do circuito de exibições e atividades.

Fizemos uma linda homenagem ao documentarista Eduardo Coutinho (que havia falecido recentemente), com a presença de seu filho mais velho, o jurista Pedro Coutinho. Ainda tivemos mais presenças ilustres: Letícia Spiller, Pedro Novaes, Carlos Bonow, Paulo Vespúcio e Adriano Lírio exibiram o recém-lançado O casamento de Gorete, seguido de um divertido talk-show. O multiartista Michel Melamed nos concedeu uma entrevista sobre seu filme Seewhatlook – O que você vê quando olha o que enxerga?. Outra singela e emocionante homenagem foi ao poeta Manuel de Barros, com a exibição do documentário Só dez por cento é mentira, do cineasta Pedro César. A Unati/Uerj ainda arrancou lágrimas e aplausos do público com o pout-pourri sobre grandes musicais do cinema.

Essa quinta edição também foi importante para estreitarmos laços com jovens de Ongs, de entidades autônomas produtoras de audiovisual, com universitários e, ainda, com alunos de escolas públicas e privadas (de segundo segmento do Ensino Fundamental e do Ensino Médio) que exibiram seus trabalhos nas diferentes “janelas” da Mostra e puderam vivenciar e trocar novas experiências de produção.

A sexta edição da Mostra teve a adesão de uma parceria de peso: o Sesc, que mais uma vez apostou no potencial da produção juvenil e nos permitiu ampliar os horizontes. A abertura aconteceu no imponente teatro mecanizado do Palácio Quitandinha, e teve a presença do diretor, do produtor e de parte do elenco do filme Aspirantes, entre eles Karine Teles e Ariclenes Barroso, este consagrado com o troféu Redentor de melhor ator no Festival de Cinema do Rio de 2015.

Foram realizadas doze oficinas com renomados profissionais das artes, entre eles Hsu Chien (diretor de atores da Globo), Leandro Lima (desenhista de som), Nataly Mega (produtora executiva do Porta dos Fundos), Flávia Rosa Borges (produtora), Renata Otomura (produtora de arte) e Alexandre Pena (crowdfunding), que deram dicas preciosas para a plateia.

As exibições de filmes brasileiros que ainda não estavam no circuito naquele ano, seguidas de debates, ainda foram destaque, como A família Dionti, de Alan Minas, Encantados, de Tizuka Yamasaki – que trazia no elenco os atores Thiago Martins, Letícia Sabatella, José Mayer e Dira Paes –, além de Califórnia, de Marina Person, com os atores Clara Gallo, Caio Horowicz e Caio Blat, e Condado macabro, com a presença da equipe de produção e do ator Leonardo Migliorin, que participou todo o dia das atividades da Mostra, junto aos alunos do EMI-AV e o público em geral.  

No ano passado, em nossa sétima edição, as dificuldades financeiras não impediram que realizássemos o evento. Ocupamos o Palácio de Cristal no primeiro final de semana e tivemos várias atividades artísticas, como teatro interativo e oficina sobre o uso de drones no audiovisual, além de encontros com atores e cineastas, como os premiados diretores Aluizio Abranches, Gustavo Pizzi e Felipe Sholl, o produtor Leonardo Ribeiro, os atores Tom Karabachiam, Bernardo Marinho, Valentina Herzage e novamente a petropolitana Karine Teles, que voltava ao evento consagrada com o Troféu Redentor de melhor atriz do Festival do Rio pelo filme Fala comigo, que abriu nossa Mostra.

Museu Imperial, Casa Claudio de Souza, Centro de Cultura Raul de Leoni, Cine Bauhaus, UCP, FaseTV, entre tantos outros parceiros continuaram com suas portas abertas para receber as atividades, e presenças ilustres marcaram ainda nossas oficinas e debates, como o cineasta cubano e professor de cinema Antonio Molina, o diretor global Hsu Chien, os publicitários Bruna Maba e Alexandre Pena, o maestro e musicista Antônio Gastão, o documentarista Emílio Domingos, além de nossos ex-alunos Lucas Santa Rosa e Wendel Fernandes, hoje universitários e atuantes em suas frentes, que contribuíram para oficinas teóricas de alto valor para o evento.

O ano de 2016 marcou também um recorde: recebemos mais de cinquenta filmes de curta-metragem de todo o Brasil, que foram exibidos em diferentes espaços da cidade, confirmando mais uma vez que a Mostra Audiovisual de Petrópolis extrapolou suas fronteiras físicas e tem reconhecimento como importante polo para a difusão do audiovisual nacional.

A repercussão positiva entre produtores e realizadores de todo o país já nos fez merecer duas indicações ao Prêmio de Cultura Guerra Peixe, na categoria de melhor produção cultural em 2015 e 2016.

Nossa Mostra é isso: um espaço onde o público em geral, produtores, educadores e jovens têm a oportunidade de dialogar com profissionais de destaque, conhecer um pouco dos bastidores das grandes produções e ainda ter espaço para exibir suas obras e apresentar suas ideias, além de conhecer as tendências do mercado e aprimorar suas experiências com o mundo fascinante da sétima arte.

Venha fazer parte deste momento!!!

Imprensa

Clique no botão para acessar o Press Release da mostra

EMI-AV

Em 2008, o Colégio Estadual Dom Pedro II (Petrópolis-RJ) implementou o curso de Ensino Médio Vocacional Profissionalizante em Produção de Áudio e Vídeo (EMI-AV), aderindo a uma proposta do governo federal, por meio do Ministério da Educação, voltada para a busca de alternativas pedagógicas aos modelos de formação em nível médio diante das transformações e demandas da realidade contemporânea, tendo em vista ajustar as condições de preparação para o exercício de profissões técnicas em consonância com as necessidades do mundo do trabalho.

A proposta do ensino médio integrado está estruturada a partir de três princípios: ciência, cultura e trabalho. O curso tem duração de três anos, em horário integral, e atende a cerca de 180 alunos. Nele os jovens, na faixa etária dos 14 aos 18 anos, têm aulas das disciplinas regulares do ensino médio e disciplinas do núcleo de formação técnica que convergem conteúdos, habilidades e atitudes profissionais em torno de projetos audiovisuais. As obras daí provenientes são divulgadas em festivais e nas mídias locais. Além disso, são oferecidas atividades complementares tendo em vista ampliar a bagagem cultural e imagética e contribuir para a formação cidadã dos alunos.

Em seus quase dez anos, o EMI-AV vem se destacando em atividades dentro e fora dos muros escolares, como a participação na Sessão Vídeo Fórum/Mostra Geração do Festival de Cinema do Rio, na Mostra de Audiovisual da Escola Politécnica Joaquim Venâncio (Fiocruz), na Mostra de Curtas de Cabo Frio, no desenvolvimento de programas de TV, como Cinema 10, em festivais de artes como o do Sesc, em vários workshops com especialistas e realizadores do cinema brasileiro promovidos por reconhecidas instituições, entre outros eventos/ações que visam aprimorar suas vivências na área.

Os jovens que se formam no curso técnico podem atuar como assistentes em diversas áreas da produção audiovisual, como roteiro, captação de som e imagem, figurino, cenografia, edição, entre outras, assim como seguir estudos em nível superior. Nossos egressos vêm alcançando resultados significativos em vestibulares e concursos, assim como conquistando importantes vagas no mercado de trabalho, resultado de suas habilidades e competências não apenas técnicas, mas também de cidadãos reflexivos e conscientes de seu papel social.

Quer conhecer mais sobre o EMI-AV? Então venha nos fazer uma visita!
Colégio Estadual Dom Pedro II
Rua do Imperador, 400 – Centro – Petrópolis – RJ
(24) 2291-1706/2291-1719

Projeto Videogeração

Ser um espaço para o debate de diferentes temáticas que permeiam o dia a dia da escola, fomentando o diálogo e a integração grupal, tendo a cultura e a educação audiovisual como ferramentas que possibilitam o despertar de uma consciência cidadã e crítica a partir da produção de vídeos.

A sessão Videogeração é o espaço para a divulgação de vídeos, de qualquer gênero, produzidos por alunos de escolas públicas e particulares, que frequentam o Ensino Fundamental e/ou o Ensino Médio.

Fruto da primeira ação educativa da Mostra Petrópolis, a proposta desta minimostra é incentivar o audiovisual como metodologia pedagógica e estimular a pesquisa e a produção de conhecimento por meio dos recursos e da linguagem midiática. Além disso, é momento para troca de experiências entre os jovens e educadores.

Inscreva sua escola!!! Você pode enviar um curta-metragem de até dez minutos de duração, incluindo os créditos, através do e-mail: mostrapetropolis@gmail.com, até o dia 31 de outubro de 2017.

Na mensagem, deve constar um link do filme no Youtube. Não se esqueça de inserir informações como título do projeto, sinopse, nome dos jovens realizadores, funções que desempenharam no filme, professor(es) orientador(es) (caso existam) e nome do colégio.

PROGRAMAÇÃO

Em breve!

Cinema na Praça

Reunir os amigos, a família, e curtir uma sessão de cinema na praça ao ar livre, com muita pipoca! Que tal? Traga sua cadeira, sua esteira ou uma almofada e venha aproveitar a companhia filmes nacionais de qualidade.

Mostra Itinerâncias Jovem

Espaço de exibição e debate de obras produzidas por jovens cineastas, das mais diversas formações – escolas de cinema, ongs, oscips, universidades, filmakers –, a Mostra Itinerâncias Jovem pretende intensificar os intercâmbios entre esses produtores e estimular a produção juvenil.

Mostra EMI

A Mostra EMI é dedicada exclusivamente à produção do Ensino Médio Integrado Profissionalizante em Produção de Áudio e Vídeo (EMI-AV), na qual os alunos apresentam suas obras – clipemotions, documentários, transcriações literárias e ficções autorais –, realizadas durante o segundo semestre de 2017.

Mostra Itinerâncias

A Mostra Itinerâncias é dedicada a grandes produções do cinema nacional que fizeram suas estreias recentes em festivais e ainda não estão e/ou acabaram de estrear no circuito comercial, expressando diferentes tendências. São sessões de filmes seguidas de debates com os produtores, diretores e elenco, com entrada franca.

Mostra Videogeração

A sessão Videogeração é o espaço para a divulgação de vídeos, de qualquer gênero e temática, produzidos por alunos de escolas públicas e particulares, que frequentam o Ensino Fundamental e/ou o Ensino Médio.

Oficinas

Quer aprender algo novo? As oficinas são atividades práticas e/ou teóricas onde você pode desenvolver conhecimentos e habilidades no campo da produção ou da educação audiovisual.

CINEMA360º

Sessão dedicada à produção petropolitana independente e à exibição de filmes com temáticas adultas. Desde 2011, o Cinema360° participa das edições da Mostra dando ainda mais visibilidade para o audiovisual na serra e configurando-se como espaço para a troca de experiências.

ENCONTRO.COM

A série Encontro.com é dedicada aos bate-papos descontraídos com artistas, produtores e convidados, com diversos assuntos que envolvem a produção audiovisual.

Locais da mostra

CINE-TEATRO DO MUSEU IMPERIAL
Bosque do Imperador, s/n (antiga Praça do Cenip)
Centro – Petrópolis – RJ
Tel.: (24) 2233-0300 / 2233-0360

.

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS
Campus BC
Rua Benjamin Constant, 213
Centro – Petrópolis – RJ
Tel.: (24) 2244-4044

SALA HUMBERTO MAURO
CENTRO DE CULTURA RAUL DE LEONI
Praça Visconde de Mauá, 305, 2º piso
Centro – Petrópolis – RJ
Tel.: 2233-1200

.

COLÉGIO ESTADUAL DOM PEDRO II
Rua do Imperador, 400
Centro – Petrópolis – RJ
Tel.: (24) 2291-1719

.

CINE BAUHAUS
Rua Dr. Nelson de Sá Earp, 88
Centro – Petrópolis – RJ
Tel.: (24) 2237-0312

.

AUDITÓRIO FIRJAN
Av. Dom Pedro I, 579
Centro – Petrópolis
Tel.: (24) 2244-3254

CASA CLÁUDIO DE SOUZA
Praça Rui Barbosa, 05 (antiga Praça da Liberdade)
Centro – Petrópolis – RJ
Tel.: (24) 2231-4722

CENTRO CULTURAL 14 BIS
Museu Casa de Santos Dumont
Rua Barão de Amazonas, s/n
Centro – Petrópolis – RJ
Tel.: (24) 2247-5222